Serviço de Pastoral Escolar – SPE

O SERVIÇO DE PASTORAL ESCOLAR

É a organização da ação evangelizadora da Igreja no campo da educação,  através da missão de difundir a pedagogia do Mestre, Jesus de Nazaré, seu jeito de ser, atuar e relacionar-se, sensibilizando e despertando as pessoas para assumirem a ética do cuidado da vida a partir da mística comprometida de Teresa de Jesus e de Enrique de Ossó.

Na ótica de uma corrente esperançosa de educadores cristãos que sentem  inquietude diante da fragilidade humana, vê-se  a possibilidade de tecer reflexões e somar esforços como comunidade educativa teresiana para lutar por uma mudança cultural, à luz da pedagogia do Mestre, Jesus de Nazaré, com vistas a superar a crise do projeto humano, dos valores éticos e avançar no processo de humanização e reconciliação,  sendo conscientes da viabilidade de reavivar os germes de vida e restauração (E.O.) presentes na comunidade em que estamos inseridos.

(Referência – cf. Documento capitular: Assumir a ética do cuidado na casa comum. CSTJ/Roma.2017)

A presença da Pastoral acontece por meio das seguintes atividades:

– Formação de educadores, através do acompanhamento na tarefa educativa quanto ao Ensino Religioso e sua formação nas áreas: bíblica, teológica e carismática;

– Difusão do Carisma Teresiano através de grupos que atuam nas mais diversas formas de expressão e envolvimento: Amigos de Jesus (crianças); Juventude Teresiana; MTA (Movimento Teresiano Apostólico), todos com a finalidade de fortalecer a identidade da Família Teresiana;

– Momentos de oração (diária, vivências, cultivos, retiros, missas e celebrações);

– Preparação para a Primeira Eucaristia – desenvolve-se em duas etapas.

– Suscitando a conscientização sobre a importância da sustentabilidade ambiental, através de práticas no ambiente escolar.

– Realizando ações solidárias junto aos oprimidos, abandonados, idosos e crianças em situação de vulnerabilidade através de campanhas de conscientização e ajuda fraterna, efetivamente estamos no Lar de Meninas e asilo Sebastião Peres.

“Tudo por Jesus!” Santo Enrique de Ossó.

A pastoral do Santa Teresa de Jesus trabalha junto com seus educadores nas formações e momentos de espiritualidades. No dia 13 de fevereiro, semana que antecedia o início das aulas do ano de 2020, a responsável pelas atividades, Marisa Albuquerque, organizou dois grupos de educadores que fizeram movimentos indicados, através da dinâmica das faixas coloridas, descobrindo a cada momento o significado de sua ação educativa. Contemplaram a harmonia de um trabalho árduo que reflete o que cada um traz dentro de si: o amor, a fé, a alegria, a esperança, o afeto… Ao final formou-se uma flor, resultado da dinâmica do trabalho, na troca de espaços, cruzam-se os caminhos, somam-se as forças, interligam-se os corações. Concluiu-se o trabalho com a oração de pertença.

 

No dia 14 de fevereiro foi celebrado, na capela do colégio, o sentido do encontro através do texto onde Jesus encontra com Zaqueu. A educação Teresiana tem sua finalidade em “conhecer e amar a Jesus e torná-lo conhecido e amado”, conforme os ideais de seu fundador Santo Enrique de Ossó. Faz sentido refletir sobre a conversão de Zaqueu que começa com o desejo de ver quem era Jesus. Jesus surpreende Zaqueu dizendo: Zaqueu, desce depressa! Hoje eu devo ficar em tua casa. Zaqueu se deixa tocar pelo chamado de Jesus. Recebe-O em sua casa. Através deste exemplo somos convidados a fazer a experiência de encontrar Jesus no caminho e no contato com as pessoas através de um olhar atento e numa atitude de compromisso com a vida.

 

PARA ONDE VAI NOSSA HUMANIDADE?

Um mundo tão dominado pelo conhecimento, avanços na ciência e na tecnologia, com uma velocidade sem igual no campo da informação, com incontáveis possibilidades de entretenimento, com uma rede de conexões sem limites, gerou na humanidade a sensação de que tudo isto ao seu alcance não necessitaria de mais nada para alcançar uma VIDA FELIZ.

Nesta caminhada sem trégua, um cotidiano abarrotado de atividades, falta de tempo, de cuidado consigo mesmo e com os outros, condicionou a uma vida individualista, cômoda e vazia.

Quando, de repente, algo invisível aos olhos, chegou para despertar os seres humanos de que o sentido maior de tudo é a vida, a sua e a dos outros e, que acima de tudo existe o autor, o doador da vida a quem se pode recorrer com toda a confiança pedindo a sua proteção.

Vivemos tempo de separação das relações, das pessoas, do trabalho, do mundo… o cotidiano é outro. O olhar contempla… o coração sente diferente, dói… as palavras calam… as mãos repousam uma sobre a outra… cessam-se os passos apressados… mudou a tarefa diária… Já não se sabe o que pensar…

Mas este stop que está acontecendo com a vida humana faz pensar: por quem tenho o porquê viver?

Nesta época de reflexão a mística da educação teresiana nos impele a abrir os olhos para mirar com o coração a dor que sofre a humanidade. Somos chamados a tocar o sofrimento com gesto de compaixão e solidariedade que nasce do reconhecimento que somos parte da mesma família humana.

É tempo de aprender a perceber o aroma da presença de Deus que vive em nosso interior e em toda a realidade, que nos permitirá acolher o que Ele em cada situação nos vai mostrando e elegê-Lo, por que isso será o que nos vale.

No caminho nos animará a experiência de Santa Teresa e de Santo Enrique que numa sinergia com Jesus Cristo souberam enfrentar os desafios de sua época ancorados na forte coluna da oração e no compromisso pelo bem das pessoas.

Necessitamos despertar, redescobrir o afeto, a ternura, a confiança, dar espaço ao silêncio, orar…

Fonte: http://www.stjteresianas.org/mision-educativa/lineas-maestras/

Serviço de Pastoral Escolar. Santana do Livramento, Abril/2020.

 

QUAL O SENTIDO DE NOSSAS BUSCAS?

Há no íntimo do ser humano um anseio de busca.

Um elã pelo qual vale a pena viver.

Somos peregrinos na busca, na luta, nos encontros e despedidas.

Mas há espaços de parada para recarregar energias, trocar experiências, fortalecer relações, marcar vidas.

Pensemos em especial, hoje: qual o nosso legado para a humanidade? Se pensarmos no que queremos deixar não poderão ser coisas que passam, que se podem vender, trocar… mas algo que contagie o ser humano nas buscas que serão constantes na caminhada em qualquer época, por isso distribuir afeto, esperança, amor… semear verdade, paz, solidariedade… são as metas para prosseguir.

Mais do que nunca estamos num tempo de refletir sobre o que permanece e sustenta, sobre o que passa e perece.

Vejamos as sábias palavras de Santa Teresa de Jesus: “Nada te perturbe, nada te espante, pois tudo passa só Deus não muda… Quem a Deus tem nada lhe falta…”

A palavra de Deus registra a trajetória de pessoas que num determinado momento descobriram o sentido maior de sua busca por mais vida.

Estejamos atentos aos sinais de Deus. Ele tem seu lugar e sua hora para revelar-se e manifestar a sua verdade sobre a vida, sobre seu projeto.

Assim aconteceu com Moisés na sarça ardente (Ex 3,1-12), ela é o sinal, mas a atitude de Moisés está para além da percepção visual, sente em seu interior o apelo de Deus que interpela: “Vá, Eu envio você!”

Contemplemos a peregrinação do povo de Deus pelo deserto rumo à Terra Prometida, quantos desafios, peripécias, resignações, sede, fome, fadiga… mas algo nunca lhe faltou: a fé em Deus pois “o Senhor não deixa de nos animar até o fim da batalha”. (STJ. C.34,2).

Deus nos deu este tempo de peregrinação interior para a nossa santificação.

Como peregrinos, estamos à busca, na esperança, na determinação… de quê?

 

SERVIÇO DE PASTORAL ESCOLAR. Abril/2020