09/04/2020

Pastoral

Para onde vai nossa humanidade?

PARA ONDE VAI NOSSA HUMANIDADE?

Um mundo tão dominado pelo conhecimento, avanços na ciência e na tecnologia, com uma velocidade sem igual no campo da informação, com incontáveis possibilidades de entretenimento, com uma rede de conexões sem limites, gerou na humanidade a sensação de que tudo isto ao seu alcance não necessitaria de mais nada para alcançar uma VIDA FELIZ.

Nesta caminhada sem trégua, um cotidiano abarrotado de atividades, falta de tempo, de cuidado consigo mesmo e com os outros, condicionou a uma vida individualista, cômoda e vazia.

Quando, de repente, algo invisível aos olhos, chegou para despertar os seres humanos de que o sentido maior de tudo é a vida, a sua e a dos outros e, que acima de tudo existe o autor, o doador da vida a quem se pode recorrer com toda a confiança pedindo a sua proteção.

Vivemos tempo de separação das relações, das pessoas, do trabalho, do mundo… o cotidiano é outro. O olhar contempla… o coração sente diferente, dói… as palavras calam… as mãos repousam uma sobre a outra… cessam-se os passos apressados… mudou a tarefa diária… Já não se sabe o que pensar…

Mas este stop que está acontecendo com a vida humana faz pensar: por quem tenho o porquê viver?

Nesta época de reflexão a mística da educação teresiana nos impele a abrir os olhos para mirar com o coração a dor que sofre a humanidade. Somos chamados a tocar o sofrimento com gesto de compaixão e solidariedade que nasce do reconhecimento que somos parte da mesma família humana.

É tempo de aprender a perceber o aroma da presença de Deus que vive em nosso interior e em toda a realidade, que nos permitirá acolher o que Ele em cada situação nos vai mostrando e elegê-Lo, por que isso será o que nos vale.

No caminho nos animará a experiência de Santa Teresa e de Santo Enrique que numa sinergia com Jesus Cristo souberam enfrentar os desafios de sua época ancorados na forte coluna da oração e no compromisso pelo bem das pessoas.

Necessitamos despertar, redescobrir o afeto, a ternura, a confiança, dar espaço ao silêncio, orar…

Fonte: http://www.stjteresianas.org/mision-educativa/lineas-maestras/

Serviço de Pastoral Escolar. Santana do Livramento, Abril/2020.